Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

Exemplo mal escolhido

Hoje tinha um possível cliente para visitar que tinha feito uma solicitação a fim de lhe apresentar um produto que servisse para determinadas necessidades, chego à morada, anuncio-me e mandam-me entrar para um gabinete onde estava um senhor dos seus quarenta e poucos anos sentado, mandou-me sentar, e eu questionei-o sobre quais eram as suas necessidades para enquadrar o produto que eu achava mais adequado, assim fiz, ora para o senhor o meu produto indicado é este, custa x.

- há, mas eu prefiro que sejam feitos de..., são muito melhores que esses.

- sim, são melhores mas custam cinco vezes mais e quando rendem mais é quando não é preciso, ou seja com a minha oferta o senhor tem tudo o que necessita e tem em excesso nesta altura, ora nesta altura é quando os outros rendem mais, mas você não precisa de tanto o que sobra é apenas para deitar fora, alem dos inconvenientes se...

- pois mas aquela tecnologia é melhor

- sim, é melhor e eu também a tenho, veja aqui, mas acha que é necessário gastar tanto? aliás, como eu costumo dizer há duas maneiras de um homem ser manco, uma é ter uma perna mais curta, outra é ter uma perna maior (este é um exemplo que uso muito para explicar situações de subdimensionamento e sobredimensionamento).

- Pois mas o meu vizinho tem desses e eu também quero desses.

- Ok, se é para mostrar que tem, então o meu preço é este, mas existem regras que devem ser cumpridas...

Lá continuamos a falar, fiz questão de lhe dizer que não gosto de enganar ninguém e que tento oferecer dentro da gama que tenho a solução que acho mais adequada, quero que os meus clientes fiquem satisfeitos e que vejam em mim uma pessoa que os ajuda a comprar e não um abutre que só pensa em €. chegou a hora de me vir embora, o senhor fez questão de me acompanhar à porta, eu disse que não era preciso, mas ele insistiu, enquanto meto as minhas coisas na minha pasta vejo que ele se baixa apanha uma bengala e vem agarrado a ela à porta, por momentos fiquei sem saber o que fazer, se me esconder num buraco se me desfazer em desculpas pelo meu exemplo, sai naturalmente, e cheguei ao carro e disse merda, porque é que eu tenho a mania de usar alegorias, grrrrrrr.

 

 

música: Outlaw-The Cult
tags:
publicado por Rolandowsky Rasgakus às 23:56

link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



*Eu

*pesquisar

 

*Fevereiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

*posts recentes

* 14 Fevereiro

* Norticias

* 80

* Más linguas

* Astrologia

* O fim, tão perto.

* A mala da Pepa

* 2013

* Cá está ela...

* O Gasparzinho

* Por Favor

* O tal capitalismo

* Ás vezes...

* Trocas

* Preciso de férias

*arquivos

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Junho 2012

* Maio 2012

* Junho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Setembro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Agosto 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

*tags

* todas as tags

*links

blogs SAPO

*subscrever feeds